segunda-feira, 22 de agosto de 2011

talvez .




Acho que nunca tive muito jeito para falar de mim ou sobre o que sinto, escondo-me por detrás de palavras criadas na minha cabeça. Sinto-me estúpida e arrependida por tudo o que lhe disse, estava fora de mim. Estava a ser egoísta e não sei se me irás perdoar por isso, mas eu não irei. Talvez pense demasiado em mim, talvez não faça sempre o mais correcto. Não quero que ninguém tenha pena de mim, quero ser apenas eu.
 



Por segundos imaginei-me noutro sítio que não o meu quarto, um espaço completamente aberto e verde. Sentir o vento na minha cara, a frescura do ar e da erva. Paz e tranquilidade, tudo o que desejo agora.

Esperar é uma virtude que tenho a aprender.

Cristiana Martinho

sábado, 20 de agosto de 2011

vulnerável .


Outra vez, corro por caminhos que não conheço, mas de qualquer maneira não me recuso a lutar. Não sei distinguir o quer que seja, bem do mal, verdade da mentira. Sinto-me vulnerável, longe de tudo e todos, apenas comigo. Sinceramente, esta não sou eu, tenho noção disso e sei que voltará mas já não sei ao certo o que se passou para ela não estar agora comigo, é muito relativo.
Não, não sei o que acabei de escrever, tenho necessidade disso, apenas. 

  Eu sinto o que escrevo e não escrevo o que sinto !

Estou cansada, de quê ? Não sei .
Cristiana Martinho

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

perdidas !


Por vezes deparo-me com situações muito curiosas, como por exemplo uma miúda falar de outros como se fossem bestas sem sentimentos. Mas talvez essa miúda queira esconder algo que ela própria receia que venham a descobrir e fazendo isso talvez, de alguma maneira, lhe faça subir o ego, auto-estima. Mas assim, estará a descer mais baixo do que a própria pessoa de que ela falava, seja verdade ou não.
E outra coisa que acho incrível e de certo modo admirável ( sarcasmo ), é o poder de imaginação de certas pessoas ao ponto de inventar coisas relacionadas com outras pessoas, ao ponto de a vítima desse fruto de imaginação nem ter conhecimento do sucedido.
Talvez a vida dos outros seja tão fascinante que algumas pessoas achem interessante opinar sobre tal.



Perdidas ? Mais é impossível.

Cristiana Martinho

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

racionalidade, ou talvez não .

... Divino ? Não lhe chamaria isso, há quem dê uma definição mais mórbida. Uns dizem ser fogo, outros gelo. Não sei ao certo qual seja a mais correcta, talvez tenham ambos razão. Poetas falam dela, alguns dizem-se irracionais, não pensando em mais nada. Mas porquê exactamente ? Serão os apaixonados irracionais ao ponto de fazer algo que não esteja correcto ? Perdemos toda a racionalidade no que se toca a isso. O facto é que fazemos coisas em que no nosso estado dito normal não faríamos. Alguns perdendo por completo o controlo de alguma situação menos desejada em que o tal esteja envolvido.

Assim é e assim será !
Cristiana Martinho