quinta-feira, 29 de setembro de 2011

por amor ?


Cada vez acho mais incrível, ironicamente claro, como tudo se tornou tão miserável e podre. Amar pela aparência ou porque lhe convém ? Por amor de Deus ! O amor já não é aquilo que era, são poucos os que se mantêm fiéis ao dito cujo diziam amar. Onde estão aqueles amores verdadeiros ? Outros tempos diria eu, mas acredito, muito pessoalmente, que ainda existam amores assim, não com tanta frequência.
Poderei parecer antiquáda, mas gosto do que é autêntico e verdadeiro, apenas. Porquê julgar as pessoas pela maneira de vestir ou andar ? Porquê olhar para o exterior quando o mais bonito poderá estar no interior ?


Com amor,
Cristiana Martinho



segunda-feira, 12 de setembro de 2011

engoli em seco


Estava a ouvir o som da água a passar por entre as rochas e pensei : e se tudo tivesse sido diferente ? Se fizesse outras escolhas, conhecesse outras pessoas ? Seria igualmente feliz ?
O facto é que já fui substituída no passado, mais que uma vez. Senti-me enganada, estúpida, mas engoli em seco, não conseguindo guardar rancor nem ódio. Talvez a culpa também tenha sido minha, não quero saber mais disso.
Tenho medo, do impensável ou do real, de se repetir, da vergonha ou tristeza, de momento, tenho medo de tudo.
Gosto de imaginar e da frescura da água, conjugando entre si. Será que sabemos separar a realidade da ficção ?

E se a vida não passar do imaginário de cada um ? Viveremos em sonhos ?

Cristiana Martinho          

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

estúpidos aliás !


Já não vejo as coisas como via antes, mudou tudo tão rapidamente que nem reparei pelo sucedido. Mas por vezes é tão fácil perder tudo o que se conseguiu em meses, anos, bastam segundos. Infelizmente há coisas que não podemos remediar e queria fazer melhor, ser melhor. Tentei, juro que tentei, mas fracassei, por erros estúpidos aliás. Discuti, gritei, chorei, mas por vezes não tinha a razão do meu lado, agora sei isso. Cometi muitos erros, mesmo que alguns sejam insignificantes ou outros desnecessários, já não consigo voltar atrás.

Agora, descobri o caminho correcto a seguir. Não cometerei os mesmos erros, nem deixarei que nada me afecte.
Mas sinceramente, espero não dizer isto em vão.

Cristiana Martinho