sábado, 10 de dezembro de 2011

chuva sobre penas

Dançam ambos sobre chuva intensa que caí sobre a noite escura, suas asas mais belas do que nunca, brilham como estrelas. Com as roupas coladas ao corpo, mas com o calor que cada um transmite, agarrados e fortemente apaixonados.
Anjos de asas brancas e mácias, belos como ninguém vira outrora. Faces tão puramente esculpidas, corpos tão delicadamente defenidos. Ela tão aparemente frágil, ele tão poderoso.
Sobre a pequena luz do luar que os ilumina o suficiente para que continuem a dançar sobre o telhado de um pequeno prédio, sem que ninguém os veja.

Talvez o amor esteja para lá da nossa compreensão, ninguém o sabem defenir ou explicar, ninguém tem uma ideia fixa do que seja. Mas porquê defini-lo quando o que interessa é senti-lo ?


   
 Cristiana Martinho

1 comentário: